PRODUTO

O objetivo de um time começando uma startup é construir algo que as pessoas amem. Só após alcançar esse objetivo faz sentido gastar tempo pensando em como atrair mais clientes em escala. "Love is better than like" e "Make something people want" são dois dos mantras mais importantes para serem lembrados no início da jornada. 

 

No momento em que um grupo semelhante de consumidores gostar tanto do seu produto a ponto de se mostrar disposto a pagar por ele e, mais importante, a usá-lo com frequência, você terá encontrado Product Market Fit. A jornada de criação de um produto é a jornada de criação de valor de uma startup.

 

Fazer "algo que as pessoas amem" e em seguida "encontrar Product Market Fit" é um trabalho geralmente bastante desafiador, que exige desde o início um processo de descoberta sólido. Ele inclui a descoberta do problema, das personas que sofrem desse problema, dos "jobs-to-be-done" para solucionar o problema, das funcionalidades mais básicas que deverão ser incluídas no produto/solução, do tamanho do mercado que pode ser explorado quando encontrada a solução para o problema, dos canais para atingir as personas, etc. É um processo que envolve análises de mercado, pesquisas, entrevistas com potenciais consumidores, entre outras tarefas. 

 

Após o processo de descoberta vem o processo de desenvolvimento da solução, onde são criados testes "lo-fi/no-tech", protótipos e wireframes do produto, testes de usabilidade, entre outros exercícios que combinados formam o MVP, sigla em inglês para "Produto Mínimo Viável". 

 

"Quem não mede não gere" é uma frase bastante conhecida no jargão de negócios. No processo de construção de produtos ela também é válida. Tão importante quanto boas jornadas de descoberta e de prototipação é o ciclo de validação de hipóteses e medição de resultados para que o ciclo iterativo continue. 

 

Durante a jornada de descoberta, teste e validação, são 4 os principais blocos a serem encaixados para que seja atingido Product Market Fit:

 

 

 

Persona: O processo de segmentação dos clientes leva à criação de "personas", ou seja, representações fictícias que personificam os usuários comuns. Apesar de fictícios, a construção desses arquétipos deve ser baseada em fatos reais como características, comportamentos, objetivos, motivações, etc. de um grupo de usuários. 

Dor / Job-To-Be-Done: Cada persona tem seu "job-to-be-done", ou seja, o que busca como resultado da compra de um determinado produto. O JTBD parte de uma dor que a persona sente. "Quem está com o cabelo pegando fogo?" é a pergunta / expressão mais usada para ordenar as personas que mais sentem determinada dor.

 

Funcionalidade / Produto: Os produtos, por sua vez, são feitos para permitir que o "job-to-be-done" seja realizado. Cada persona enfrenta uma jornada para resolver seu JTBD. Levando em consideração que um produto geralmente começa com uma ou poucas "features" / funcionalidades, compreender a jornada é essencial para definir qual ponto de partida da construção do produto e quais as novas funcionalidades que devem ser construídas em sequência até que se tenha o "whole product".

 

Canal: É a rota entre seu produto e o mercado. Pode variar de um "simples" site na internet/app até uma força de vendas sofisticada. É fundamental entender que para cada negócio há um canal, ou seja:  para cada combinação de persona, JTBD e produto, potencialmente há um canal ideal específico. 

 

Você percebe que atingiu Product Market Fit quando a demanda dos consumidores é tão intensa que não consegue mais atendê-los com os recursos que têm a sua disposição. Os clientes começam a demandar loucamente aquilo que você tem e o que ainda não tem pronto para eles. A sensação é geralmente descrita por empreendedores como uma "inundação" de demanda. 

 

Começar a crescer e escalar antes de alcançar Product Market Fit é um dos maiores erros que podem ser cometidos por empreendedores em uma startup. Dado que a única vantagem que startups possuem frente a grandes negócios é agilidade, qualquer complexidade deve ser evitada. É importante ter em mente que o ponto de Product Market Fit se move à medida que clientes e competidores evoluem; por isso, o empreendedor deve se manter atento e ágil para também evoluir seu produto.

PRODUTO COM "MARKET FIT"? Faça parte do Big Bets.